Iniciativa visa contribuir com pesquisas de zoonoses para minimizar possíveis impactos ambientais causados pela obra da Rodovia Nova Tamoios

No último dia 23 de março, a Construtora Queiroz Galvão Brasil realizou evento para formalizar a doação de mais de 150 equipamentos veterinários para o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do Município de Caraguatatuba, em São Paulo. Estes aparatos são fundamentais para apoiar no diagnóstico laboratorial e no desenvolvimento de pesquisa de zoonoses – doenças que podem ser transmitidas entre os animais vertebrados e o homem. A finalidade destas pesquisas é minimizar possíveis impactos ambientais à comunidade local causados por essas doenças. O evento de doação contou com a presença do Secretário de Saúde do município, Amauri Toledo, além da equipe de Meio Ambiente da CQG.

Esta iniciativa voluntária é resultado de uma parceria entre a construtora, o CCZ e a Prefeitura de Caraguatatuba. A partir da doação realizada pela CQG, o município, por meio do Centro de Controle de Zoonoses, se colocou à disposição para atender ocorrências que envolvam animais domésticos abandonados e animais silvestres na área de execução da obra. Estes animais podem correr risco de morte ou mesmo colocar em perigo a saúde da população do entorno.

Esta parceria, firmada desde a emissão da Licença Ambiental da obra, em dezembro de 2015, faz parte do programa de monitoramento da fauna doméstica e sinantrópica (animais que coexistem indesejavelmente com o homem, tais como pulgas, carrapatos, ratos etc). Este programa inclui o controle sanitário da fauna, apoio à castração de cães e gatos e definição de instituições que receberão os animais domésticos resgatados. Além disso, o projeto também prevê campanhas de conscientização quanto aos riscos da fauna sinantrópica para animais silvestres, abandono de animais domésticos no entorno, entre outros.

Entre os equipamentos doados ao CCZ estão um estereomicroscópio binocular com zoom, para ampliar e observar estruturas dificilmente visíveis ou invisíveis a olho nu, leitores de microchip agulhado, agulha e aplicador de microchip e microchips agulhados. O microchip é um circuito eletrônico usado para implantação sob a pele de animais. O objetivo é garantir o monitoramento ou mesmo identificação de espécies.

Segundo José Henrique Ávila, Diretor de Operações da CQG, mais do que atender condicionantes do licenciamento ambiental, a construtora entende que iniciativas como esta podem trazer um grande benefício para a comunidade local. “Queremos, acima de tudo, recriar valores e estimular boas práticas capazes de provocar mudanças necessárias no combate ao desequilíbrio ambiental”, avalia o diretor.

CANAL DENÚNCIA 0800 721 1410