Diretor de Relações Institucionais da empresa participou do evento na China no início de setembro

Pelo segundo ano consecutivo, a Construtora Queiroz Galvão foi nomeada pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (ABDIB) representante do Grupo de Infraestrutura Brasileiro no Conselho Empresarial do BRICS (sigla referente a Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). O Conselho, coordenado pela CNI (Confederação Nacional de Indústria), é formado pelos CEOs da Embraer, Vale, WEG, BRF e Banco do Brasil.

Líder do Grupo de Trabalho de Infraestrutura no Brasil, a CQG foi representada pelo Diretor de Relações Institucionais, João Miguel Drummond. O executivo participou da apresentação das contribuições dos grupos de trabalho à cúpula dos chefes de estado.

A nona reunião dos chefes de estado do BRICS foi realizada entre 3 e 5 de setembro na cidade de Xiamen, no Sul da China. Entre os temas discutidos, foi abordada a importância de uma economia mundial mais aberta e inclusiva, que permita o desenvolvimento da infraestrutura de todos os países e compartilhe os benefícios da globalização. Atualmente, os cinco países representam quase 40% do total da população mundial, cerca de 22% do produto interno bruto do planeta. Juntos, destacam-se também pela abundância de suas riquezas nacionais e as condições favoráveis que apresentam para explorá-las.

A CQG vem ampliando sua aproximação com o mercado chinês desde a sua participação no Fórum de Negócios e na Reunião de Membros do Grupo de Trabalhos de Infraestrutura do BRICS, realizado em 2016, na Índia. A ocasião proporcionou à Construtora divulgar a sua excelente atuação no mercado brasileiro e, com isso, ser reconhecida como parceira de negócios de qualidade para os asiáticos e atrair a atenção de investidores.

Considerada a maior potência comercial global, a China aumenta gradativamente seus investimentos no Brasil e os principais alvos são ativos de energia elétrica (transmissão, distribuição e geração), construção e operação de ferrovias, portos e aeroportos. “O investimento chinês no Brasil tem uma lógica de longo prazo e já está ocorrendo. É preciso garantir a perpetuidade da Construtora Queiroz Galvão nesse novo ambiente competitivo”, diz João Miguel.

200-125   300-075   210-260   210-060   300-115   100-105   300-101   400-101   300-320   300-070   300-206   200-310   300-135   300-208   810-403   400-050   640-916   642-997   300-209   400-201   200-355   352-001  

CANAL DENÚNCIA 0800 721 1410